Halitose - Mau Hálito

 ( " Ouça áudio de Max Gehringer - Colunista do Fantástico e da Rádio CBN falando sobre Mau-Hálito nas coorporações")
O MAU HÁLITO ou HALITOSE acomete grande parte da população, que muitas vezes nem percebem o problema ou não procuram ajuda, por achar que não tem cura ou até por vergonha.

O MAU HÁLITO TEM CURA E JÁ EXISTEM EXAMES LABORATORIAIS QUE PODEM INFORMAR AS CAUSAS E INTENSIDADE DO SEU GRAU DE HALITOSE.


As causas do mau hálito são em 96% das vezes de origem bucal e raramente relacionadas com questão estomacal, em alguns poucos casos pode ter relação com intestino, rins ou fígado.

Entre outras causas, em quase todos os casos, a SABURRA LINGUAL é um dos principais fatores causadores da halitose. A Saburra Lingual é uma camada esbranquiçada, amarelada ou amarronzada presente na parte mais posterior da língua formada por uma infinidade de bactérias, descamação das células epiteliais e resíduos alimentares.

A SABURRA LINGUAL é uma área altamente contaminada por microorganismos que são responsáveis por uma série de problemas de saúde da boca e também por problemas sistêmicos, de saúde geral, principalmente quando o paciente esta com sua imunidade afetada:

Problemas Bucais:
Placa Dental
Cárie
Doença Periodontal (Doenças da Gengiva)
Halitose (Mau Hálito)
Amigdalite
Xerostomia (Diminuição do fluxo salivar, boca seca)

Problemas Sistêmicos:
Doenças Pulmonares
Gastrite por H. Pylori
Ataque Cardíaco
AVC (Acidente Vascular Cerebral ou Derrame)
Abortos
Nascimentos de Prematuros
Nati Mortos
Artrite Reumatóide

Fatores Causadores:
Os fatores causadores da Halitose são os mais diversos e entre eles podemos destacar alguns:
Adenóides
Amigdalite
Bebidas Alcoólicas
Boca Seca ou Boca Amarga
Cárie
Corrimento Nasal Posterior
Depressão
Doença Periodontal
Estilo de Vida
Fígado
Intestino
Língua
Fumo
Outros

Tratamento:
Avaliação Clínica
Exames complementares como a Halimetria e Fluxo Salivar
Determinação do Risco
Plano de Tratamento, que pode ser desde orientação de higiene bucal e uso de medicamentos específicos apenas ou associados a intervenções odontológicas e ou encaminhamento para profissionais de outras áreas, se necessário (otorrinolaringologista, endocrinologista etc.....)
O exame de Halimetria pode demonstrar a tendência do paciente em manifestar a Halitose de forma mais intensa, o paciente ainda não se sente incomodado pela Halitose, mas através do exame é possível intervir preventivamente para que ela não ocorra.

Como saber se tenho halitose?
A maneira mais simples e rápida é você ter uma conversa franca, sincera com uma pessoa de sua confiança, muitas vezes a pessoa não se sente a vontade para tocar no assunto.
Outra forma é fazer uma rápida avaliação respondendo algumas questões abaixo e caso você responda sim a alguma delas, agenda uma consulta:
Você respira pela boca?
Você sente a boca seca?
Você tem uma camada esbranquiçada, amarelada ou amarronzada sobre a superfície da língua, principalmente em sua região mais posterior?
Você esta com Tártaro?
Você sente um cheiro ruim ao passar o fio dental ou algum sangramento?
Você possui algum sangramento ao escovar os dentes?
Você é diabético?
Você é fumante?
Você faz uso contínuo de medicamentos como antidepressivos?
Estas são as principais questões envolvidas nos casos de Halitose, mas muitas outras ainda podem ser avaliadas.
Todos nós temos a Halitose Fisiológica, Halitose que ocorre ao acordar ou após períodos prolongados de jejum e exercícios físicos. Essa Halitose é considerada normal, desde que regrida após a higiene bucal, alimentação ou hidratação.

Agende uma visita para esclarecer suas dúvidas ou no email: szequi@uol.com.br


Rua Batataes, 391 • Jd. Paulista • 4º Andar - São Paulo • SP • CEP 01423-010
Nome: 
E-mail:   
Mensagem: